NEWSLETTER
Cadastre seu e-mail:

Divulgação - Canal OFF
 
MANCHETES

» 08/08/2018 - 20:57
Canal OFF mostra rotina de hexacampeão mundial Guilherme Tâmega no Havaí em episódio de "Profissão: Salva-Vidas"

Após conquistar seis campeonatos mundiais de bodyboard e dois títulos do ISA Games, Guilherme Tâmega ouviu o chamado de Pipeline e partiu para uma nova empreitada em sua carreira: o de virar salva-vidas no Havaí. A história do carioca é o tema do quarto episódio de “Profissão: Salva-Vidas”, que vai ao ar no Canal OFF nesta sexta-feira (10/08), às 21h30.

Guilherme Tâmega conta sobre a emoção de pegar um tubo em Pipeline, todas as famosas “vacas” e que ser salva-vidas em North Shore é uma tarefa difícil, que exige muita responsabilidade e experiência. Ele fala ainda sobre os salvamentos dos surfistas Dylan McGinn e Dusty Payne, que estão entre os mais difíceis que já realizou.

“Escolhi essa profissão no Havaí pela onda de Pipeline. Foi a melhor maneira possível de me manter no meu habitat natural, que é o oceano. Lembro de quando eu saia da água após as competições e via os caras de amarelo na torre de salva-vidas. Eu falava que podia fazer isso, ficar o dia inteiro olhando para a água e tomando conta de Pipeline. É a onda do meu coração, que me fascina e me desafia”, diz Tâmega.

Mesmo os seis campeonatos mundiais nas costas não foi o suficiente para ele entrar na carreira. Começar como salva-vidas não foi um processo fácil. “Depois que encerrei minha carreira no boadyboard, falei que ia ser salva-vidas de Pipeline. Então lutei por isso, você não entra na corporação e já vai para Pipeline. Você conquista o seu posto. Foi uma caminhada dura e hoje eu consegui chegar lá. E tenho que trabalhar muito bem e muito forte para manter o posto. Mas com toda a paixão, o desafio e o amor pelo lugar, tudo sai bem e as coisas acontecem”, explica Tâmega, que está desde 2014 na profissão.

Guilherme estima já ter realizado mais de 100 resgates no geral, entre eles o de um bodyboarder americano que bateu no recife de coral de Pipeline em 2016 e ficou desacordado. Essa possibilidade de poder ajudar os outros foi um fator determinante para a guinada na carreira.

“Ser salva-vidas aqui tem tudo a ver com a minha proposta de vida. Sou uma pessoa da água que ama o oceano, um desafio e uma onda perigosa. Isso tudo juntou o útil ao agradável. Sou um cara que gosta de ajudar o próximo e acho que me encaixo muito bem nessa profissão, principalmente aqui no Havaí”, afirma.

HOME         MANCHETES        BLOG FABIOTV       CONTATO        PUBLICIDADE

2007 - 2018  fabiotv.com.br - Todos os direitos reservados.